segunda-feira, 24 de abril de 2017

MORTE




Oh morte!
Venhas me buscar
Estou pronta até vestida com o vestido mais bonito
Eu até preparo a sua cela e monto todo o monumento
Corda no pescoço e vou descendo, descendo para lhe encontrar.
Oh morte
Tão escura, negra e pura
Quero seu doce abraço para me confortar
Quero seguir o eterno vazio onde não terei tempo para pensar
Sugue minha alma rapidamente enquanto meu corpo sacoleja sem parar.
Oh morte!
Venha como um dote
Venha me contar seus segredos
Venha tirar meus desejos.
Oh morte!
Transforme-me
Serei sua criada
Serei sua escrava
Morta, serei própria morte.

Nenhum comentário: