segunda-feira, 24 de abril de 2017

Monstro de fogo

Correndo para nenhuma direção
Não é assim que quero estar
Sem nenhum motivo real para existir
Sem saber que caminho seguir.
Eu sinto uma força dentro de mim
Que parece me fortalecer cada vez mais
Apesar de outra força sempre me derrubar
Eu ergo minha cabeça e continuo a andar.
Eu existo, mas isso não basta
Eu vivo e isso não acaba
Não quero apenas queimar como fogo na brasa
Quero incendiar.
Sou pouco a pouco apagada pela água
Minha chama que mal chega a alcançar o céu
Queimando minhas vestimentas, estou sem mel
Amarga e solitária, lágrimas que vão apagando o que restou da chama
O que resta é apenas meu corpo na cama.

Nenhum comentário: