quinta-feira, 12 de maio de 2016

Sacramento

Eu prefiro sofrer junto dos pecadores
Do que criar asas e ir junto dos desconhecidos
Já aceitei meu inferno estremecido
Pois ele está presente em cada fresta desse mundo
Que só cospe em falsos santos monumentosos.

Eu danço nua para a lua
E não me arrependo do que virá
Pois a cada dia sem viver 
Deixa-me mais próxima da santidade e da fé.

Todo esse facciosismo é um ciclo no epílogo 
E por mais que minhas mãos me doam apenas quebro o espelho
O faz de conta não me atrai apenas me faz pressentir
Estamos condenados a cada respiração proporcionada
Por um erro não digno de nossa própria culpa.

O doce mel é um delito que prefiro desprezar
“Pois quanto mais velha a uva mais doce será o vinho”
Esse pecado ficou obsoleto e grifado em nossa prole
Que despidos em meio ao sacrifício detinham-se ao caminho da luz.

Nenhum comentário: