quinta-feira, 12 de maio de 2016

Reciclado


Toque
Pele na pele
Sussurro no ouvido
Roupa que rasga
Amor fora da lata.

Olho no olho
Língua molhada
Acordo anestesiada, molhada.

A chuva cai lá fora
E mais uma vez me sinto estagnada e entediada
Em meu rosto escorre uma lágrima
E a certeza que seu amor em meu peito exala.

Sou uma trovadora inexperiente
Uma dama reciclada com um fogo ardente
Você, como um pássaro no ninho.
Já fez do meu corpo sua morada
A campainha já foi tocada
Você possui a chave, porém a porta já está aberta.
Por mais que seja inverno, você me tem como a primavera.
Que o tempo seja o herói e também o vilão
Seja o inicio e também o final
Pois temos em nossas mãos
Nosso incandescente caso de amor.

Nenhum comentário: