sexta-feira, 13 de maio de 2016

Níquel

Já tentou se forcejar da imprecação
A meia-noite aprendeu a contenção
O sangue mesmo emurchecido causa aflição
O blues mesmo asfixiado faz o som.

No deserto avista urubus voando
Os enigmas que tanto escondo.

Você segmentou os pulsos em um período de verão
Pois a miragem estampou um cenário intrínseco
Volúvel e de desespero.

Por mais que o violão chore, não se engane não.

O som sufocante que ele solta é apenas uma solução
O corpo desce a correnteza da exatidão;

A morte, apenas uma passagem.
Seja a vida a melhor das suas.

A frase não dita pode virar uma alegoria em um hieróglifo
Estamos todos ficando velhos
Então vamos correr só mais uma vez
Em direção ao sol
Antes que ele vá embora
Antes que o dia termine
Antes a vitrola paralise
Antes que o blues de dissipe
O barqueiro já está vindo

Deixe sobre os olhos o seu níquel.

Nenhum comentário: