quinta-feira, 12 de maio de 2016

Campanha pela felicidade

Nossas vidas de borboleta vão pendurar-se além das vinte e quatro horas.
Eis majestade sua majestade
Beba do meu vinho, minha mais pura insanidade.
Mergulhe em meu corpo o mais fundo que puder
Pois lá no meu escuro brilha a mais cintilante estrela.

Por mais que minha estrada seja repleta de decepções
Uma campanha pela felicidade eu proponho
Pois além daqui existir amor eu suponho
A uma briga eterna pelas palavras certas
E para você deixo meu verso, minha pequena estrofe.
Para que assim, você faça em mim o refrão.
Nossa música pode não conter a perfeição
Mas, a melodia vale mais do que se pode ter.
Muito mais do que se pode esperar
Eu não consigo me conter
Minha voz que lhe gritar.

Uma frase inquietante na alma
Um violão desafinado e sem corda
Tamborim desmembrado
Um teclado desligado
Apenas uma poesia não terminada
Ouço de longe a badalada
Você há de ouvir
Há de sentir.

A campanha pela felicidade
É apenas uma parábola
Parabólica e desqualificada
Qualificada pelo tempo
Esquartejada pela saudade
Reforçada pelo desejo
E mais uma vez escrita
Distinta, cheia de tinta.
Vislumbre essa vista
Pois foi difícil subir até aqui.

Nenhum comentário: