segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Monstro do armário


Essa maldita dor no peito
Não quero senti-la
Prefiro nega-la
Agora mais do que nunca.

O monstro do armário
Vive chamando meu nome
Eu me escondo dentro de mim.

Como um jogo sem ganhador
Chego ao pódio sem reclamar
As cartas todas marcadas
Já encerrei minha jogada
Full House para minha alma.

O monstro sempre some
Porem na verdade vive dentro de mim
Sou um terrível monstro por dentro
Desculpe meu talento é me auto-negar.

Nenhum comentário: