segunda-feira, 2 de março de 2015

Rei dos ratos

Minha superfície instável
Sobram somente os ratos

Meu fundo buraco
O esgoto, meu santuário

As baratas e os carrapatos
O mundo, o rei de todos os ratos

Meu ninho feito de mato
Os cacos que entalho
Junto à madeira, meus dentes afiados

Meu pelo engordurado e emporcalhado
Sou o rei dos ratos, no esgoto, meu lago

Aqui tudo é escuro, torpe e vil
Há sobras de tudo, até do que ninguém viu

Você é indigno em meu reino volte para a sua superfície
Na terra dos ratos há somente um rei o rei dos patifes escamoteados.

Nenhum comentário: