domingo, 1 de março de 2015

Noiva morta


Eu sou a sombra
Sou a sede de morte
De sangue e de carne

Sou a noiva morta
Um fantasma
Uma velha aposta
Minhas unhas sujas de terra
Meu cabelo que já não presta
Agora você só chora e reza.

Minha sepultura
Seu velho amor que me engoliu
Suas palavras de adeus que me mataram
Sou sua noiva morta pelo seu pecado.

Nos seus braços eu estive
Agora sou apenas um retrato
Do dia que estive em seu afago
Agora de joelhos desgraço
Sou seu velho pecado.

Sou a sua noiva morta
Uma sombra
Uma velha caminhada
Noiva morta pela sua própria desgraça.

Nenhum comentário: