quarta-feira, 25 de março de 2015

Morto-Vivo

Essa eternidade me governa
Muito além da minha carne.

Meus ossos fragilizados que caem
Meu coração putrificado não bate.

Banho-me no sangue alheio
Sua carne pulsante é o que mais anseio.

Sou o morto vivo
Vivo morto.

Não tenho residência própria
Não peça a minha misericórdia.

Quero ser você
Quero uma parte sua
Quero sentir-me vivo
Sou o morto vivo.

Nenhum comentário: