quarta-feira, 4 de março de 2015

Ias

Minha poesia
Sobre a noite fria
Que ao passar do dia
Libera minha alegria
Agora só me lembro de que ria
Fica agora na memória a estadia

Minha poesia
Quase me sufoco em alegria
De tantos “ias” eu diminuía
De toda dor que foi dividida
Foi-se agora minha dinastia
E a minha poesia, perdeu-se em “ias”.

Nenhum comentário: