quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Dormir


Uma ideia plantada em meu cérebro
Faz-me engolir a comida já vencida
Ouvir os mesmo programas sem graça
Nas costas carrego minha arma, carregada
Nesses dias que sonho com os estrondos
A bomba que caia e nem dava para pestanejar
Guerra é somente um pretexto para exterminar.

Toda a raça humana que presa pela liberdade
Presas do destino e modelos da sociedade
Perdem sua vida e matam outros por território
Nesse vai e vem de egoísmo ficaram os ossos
Nossos antepassados descansam no mesmo solo
Onde novos corpos estão se deitando para dormir.

Nenhum comentário: