terça-feira, 23 de abril de 2013

TV sem cores


Quem pode contra ele
Ele o enfrenta mesmo
Dentro dele.

Vozes em sua cabeça
O matando, ele mata mesmo
Não sei qual é seu medo.

Ele já não vê as coisas com seus próprios olhos
Ele apenas vê como em uma TV sem cores


Um terrível filme que ele estréia sem querer.

Controlado e o pesadelo nunca acaba
O sangue em suas mãos não é o seu
Pilhas de corpos em seu porão
E o demônio ri dele então
Parte do seu corpo e o deixa no chão...

Nenhum comentário: