terça-feira, 12 de março de 2013

Memória...


Não sinto dor
Eu apenas a provo
Mergulho.

Prefiro não vê-la
Apenas deixá-la
Consumir-me.

Meus gritos
São apenas segmentos
Sons que abrangem o prazer.

Sangue
Deixe escorrer
Sinta e não reprima.

E a dor?
Não há como esquecê-la
Fica na memória apenas.

Dizendo adeus
Partindo e seguindo

Ao fim nada mais sinto.

Nenhum comentário: