segunda-feira, 11 de junho de 2012

Palavreado…


       Plástico, linha preta e agulhas
   Mentira, agonia e costuras
   Sangue, lágrimas e solidão
   Verdades historiam e razão.
   Caminho para um pódio de vidro
   Anjo com asas que não servem para voar
   Fim das coisas que fazem tudo acontecer
   Chega de desculpas e concertos
   Devagar e inquieto sem predicações
   Imagem na poça de lama, espelho sujo
   E no final nada de ouvir o blues
   Pois agora o nu ficou interessante
   E o caso que se mude é diamante
   E a face é derretida em estrume
   Tudo explode e nada mais se ouve.
   Silencio e morte

Nenhum comentário: