domingo, 10 de junho de 2012

Beber

 Qual o amor do homem pela bebida?
 Gin., Vodka e quem sabe um caipirinha
 Como de um pai para filho
 Como de um mendigo por abrigo
 Um cigarro depois da transa
 Uma amizade distante que é forte
 Como um sonho que não se destrói
 Como a mentira pouco a pouco se corroeu
 A bebida é como a sede no deserto
 É como a água para os necessitados
 É a fonte de alegria para muitos
 É apenas distração para poucos
 É o demônio para os idiotas

 E para mim a bebida é pouca.

Nenhum comentário: