segunda-feira, 11 de junho de 2012

Crueldade

Amor que se perdeu
Em uma bela dança na chuva
Parecia tão perfeito
Parecia que o tempo havia parado
Os beijos que cessão
As coisas mais belas foram apagadas
A porta se fechou para o que foi verdadeiro
Nada se pode fazer quando o muro desmorona
Mas quem sabe possa desviar dele
Deixando seus pertences caírem
Amor que foi tão pouco
Nem as mais belas palavras 
Nem os gestos e as caricias bastaram
E agora um lado da cama está vazio
Lágrimas escorrem junto à solidão
Nada pode ser verdadeiro
Mas pode-se acreditar se viver
Um olhar já basta para sentir
Apesar de muitos fecharem os olhos
O amor é tão forte quanto ódio
Tão molhado quanto um beijo
Tão quente como as caricias
 E tão mentira quanto verdade

Amor é o que muitos chamam de crueldade…

Nenhum comentário: