quinta-feira, 8 de março de 2012

Medo

Eu sou algo escondido em baixo de sua cama

músicas tenebrosas que embalam sua infancia

talvez eu seja o mundo do escuro de alguem

os olhos que veem seus sonhos e os esmaga

fantasma talvez eu seja amigo imaginário de alguem

passos que voce ouve quando já meia noite

o sino bate e é o aviso das terriveis coisas que virão

a morte de toda a sua gloriosa vida tão caridosa

no espelho quando voce se olha e penteia o cabelo

uma mentira dentro de um mundo tão surreal

esse mundo seus olhos seus medos nada é real

Talvez eu seja algo que voce insiste em temer

seu sangue ferve so de imaginar me encontrar

seus pelos do braço se erguem ao perceber

o medo é algo vivo pronto para te conter

mas eu sou apenas algo da sua mente

te causo dor e arrependimento

tudo que voce quer é luz

e eu escuridão.

Nenhum comentário: