terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Esquecimento

Eu odeio todo mundo menos você

Você é um parasita sugando meu sangue

Mas não aparece, prefere a escuridão

Dentro de mim fica então um vazio sem ocasião

Não sei realmente se devo fugir ou pedir perdão

Talvez você queira aparecer e pela porta entrar

Antes que o vento feche a porta com bastante força

Eu que nada aparento ser não vejo face nem boca

Se escondendo em um armário sem um por que

Eu me esqueço das coisas

Você então se esquece de mim

Talvez não tenhamos nenhuma sorte

No que veio ou deixou de vir

Caminho que escolhemos

Você escolheu

A porta fechou

Um mundo que acabou

Uma vida que se perdeu.

Nenhum comentário: