terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Acreditar

Não sei o que sou

Se devo sumir ou ficar

Se eu evolui ou da lama nasci



Não sei por que procurar que não se vai achar

Não sei tantas coisas e há muitas que nem lembrei

Se algo ruim acontece a culpa do homem invisível

As pessoas fazem coisas ruins e querem se justificar

As pessoas fazem coisas ruins e querem chorar



Mas olho para o final da estrada

Vejo meu corpo cansado de rastejar

Ser pisoteado por algo que nem mesmo se vê

Falar sem resposta a um ouvinte que parece se esconder



Acredito que em nada se tem a acreditar (mas acredito em mim)

Não sei minha historia, mas irei criar

Pois lá no mar posso ter caído

De nada me recordo a não ser das mentiras

Mentiras de um livro que foi todo inventado



Não sei o que irá acontecer só sei quer irei morrer

Pois foi isso que eu vi com as outras pessoas acontecer.

Nenhum comentário: