segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

desprezível

diga pelo menos uma vez

alguma coisa que me fez

só vejo as seringas sujas

sua doença desprezível

meu corpo ainda vivo

você apodrecendo

eu já me esquecendo

sua vida não existe

a minha é um pesadelo

eu sinto muito medo

pois não sei se verei o próximo inverno

ou me colocaram em um caixão vestindo terno

eu espero para ver a morte me levar

eu espero para me ver desmanchar

no entanto eu não sei o quanto irei durar

quem sabe um dia eu poderia te amar

mas a doença nos come se parar

a vida está indo e vai nos deixar.

Nenhum comentário: