quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Nada em tudo

Eu sou o nada enquanto o tudo se encontra perdido

E dentro de mim há um aviso de perigo

não sei o que pode ocorrer se por acaso me perder

Fujo de mim mesmo não sei o porque

fecho meu olhos para assim não ver

eu não posso me conter eu estou a me esconder

se eu sou nada onde está o tudo?

por acaso agora caiu o muro não estou mais seguro

eu não posso visitar mais o futuro

causei vários estragos no presente

queria poder me auto-destruir

virar milhões de pedaços e nunca mais me ver

indo para longe os pedaços

iram se espalhar e serei para sempre esse tudo

o mundo.

Nenhum comentário: