sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Destroços

Sei que é dificil de aceitar

dificil ainda mais de se ver

o terror nos olhos inocentes

sangue que do coração escorre

terror que se sente


a bala da morte passando em seu lado

uma pessoa vive para mais de mil morrer

a destruição que chega como um furacão

a nobreza inexistente de uma nação


Correndo

se escondendo

morte que chega dos céus

pelotão do inferno

com suas metralhadoras

eles nada enxergam apenas atiram

a inocência morre junto ao ódio

a guerra escondia por entre os destroços.

Nenhum comentário: