sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Deserto

Meu paraiso virou um deserto

não encontro uma gota d’água

não encontro nem a mim mesmo

não há lugar para um descanço

aqui nesse deserto eu ando descalço

queimo minha alma no mormaço

agora sou um nômade de areia

lágrimas nos meus olhos secaram

fome que tinha agora se acabou

meu deserto agora é meu paraíso.

Nenhum comentário: