quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O ás

O buraco bem fundo
que foi cavado por alguém
não se pode não falar
quando o amor machucar
pois somos tão capazes de viver
mas mesmo assim sem entender

O sonho tão grande
não é mais como antes
pois dentro de nós
existe uma chama que cresce
enquanto estamos nos guardando

O calor que esquenta nosso orgulho
e vai virando cinza pouco a pouco
nós andamos juntos mas esquecemos nossos nomes
quando se encontra algo que não estava procurando
seus olhos brilham mais que a lua no céu

O amor que todos sentem
temos que todos compartilhar
pois se um consegue encontrar
o mundo pode não se perder

O mundo está andando como um relógio
sei que meu tempo um dia irá acabar
mas sempre irei lembrar que fui capaz de amar
uma vez que fosse mesmo que ele não lembre meu nome
minhas cinzas queimam junto a uma lembrança bonita
essa não é a apenas a minha mas a de muitas vidas

A morte que todos temem
o temor que todos tem
a vida que todos vivem
o destino que não se detém.

Nenhum comentário: