segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Doença

Melhor não se importar
está longe do meu caminho
melhor você nem pensar
posso ver seus olhos sangrando
sua dor está espalhando
sou a morte que veio lhe buscar

uma guerra interminável
a vida tende a sempre acabar
ossos tão fracos que se quebram
olhos tão fáceis de serem arrancados
quero mata-lo antes que me mate
quero sorrir ao ver a doença lhe consumir
pois eu sou ela e já venho crescendo a tempo
seus remédios estão me fortalecendo

vejo a luz entrar pela janela
mas para você é pura escuridão
você já está preso ao chão
já passou da hora de partir para longe
deixe migalhas,você pode querer voltar
seu mundo destruído
com tanto cuidado construído

me mate antes que eu lhe consuma
iré sugar toda a sua vitalidade
você não tem mais liberdade
tudo que é seu a mim agora pertence
já posso ver a neblina negra apertando seu coração
o vibro se quebra foi disparada a bola do canhão
doença foi libertada e sua alma machucada
eu sou aquilo que lhe comeu por dentro
sou seu sofrimento livre rindo se sua cara
você se perdeu de um caminho difícil de se achar
nunca mais irá encontrar.

Nenhum comentário: