terça-feira, 22 de novembro de 2011

Anjo

Corro perdida perto de uma arvore eu descanso

perseguida por pesadelos na escuridão

em uma paranoia sinfônica dentro de minha cabeça

deixe eu então falar antes que eu me esqueça

eu arranco meus proprios olhos refazendo meus sonhos

sinto sangue me banhar em uma dor tão grande que acho que não irei aguentar

estou tão perdida e tão sozinha eu não sei o que enxergar o que procurar

a escuridão me acolheu tão bem que e eu resolvi aceitar

sinto as sombras me cobrindo e os pesadelos que irei doar

já estive louca mas estou sã o sulficiente para saber

o que vou escolher,porque vou querer ser um anjo

anjo negro que tranforma a vida em angustia na maior lamuria

sou sua dor que lhe consome com um biscoito qualquer

mantenha sua fé a salvo de nada adiante pedir

se não há no que acreditar sou seu anjo das trevas

cuidado com o que o cegar posso um dia te pegar.

Nenhum comentário: