domingo, 11 de setembro de 2011

Malícia

Oh minha jovem saibas que o que falas não me atinge
você sente a necessidade de causar em mim arrepios
eu lhe devolvo o olhar e os gestos mesmo querendo que partas
você divide meu coração em milhares de pedaços
você dá a todos de uma forma tão gentil e caridosa
como podes ser assim se diz que me queres só para ti
saibas que meu beijo não darei mais a você
sinta-se feliz por eu não fazer você sofrer
te quero mas não desse seu jeito infantil
em meus sonhos talvez eu te mate
em vida real que você se enfarte com sua malícia
dê de comer a todos que achas importante mas não venha a mim
sofra cachorra infiel não sou mais seu pobre osso mordido
cuspiu em meu rosto com um desgosto que até solucei
agora estou longe tomares que estejas feliz
seu coração está podre e seu andar não é o mesmo
não peças a mim socorro estarei ocupado
dormindo em minha cama chicoteando-a em meus sonhos
fique tranquila vadia pois o mal te afogará em suas lágrimas salgadas.

Nenhum comentário: