segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Minha alma

Minha alma
não me mostra o futuro
nem as coisas belas que viverei
nem as lágrimas que derramarei

Minha alma não deixa com que me recorde
não me deixa ter o simples desejo de tentar
me deixa pouco a pouco me matar,
não irei chorar

Minha alma comanda minha vida
minha alma é sombria
minha alma não se cala
ela apenas adormece
sobre o arauto do inverno

Minha alma me aquece como um cobertor
e me esquece como um desconhecido

minha alma ficará comigo por um tempo
minha alma um dia será eu mesmo
e como desrespeito a ela escondendo
seremos uma só caminhando pela penumbra eternamente.

Nenhum comentário: