segunda-feira, 18 de julho de 2011

Velhas lembranças

Em uma noite escura sente a miséria
um corpo ensanguentado banha-se a lágrimas
Fecha então os olhos
sentindo a dor de velhas lembranças

Enquanto seu coração bate devagar
se ouve a respiração fraca
e o relógio tictacteando sem parar

uma dor inconfundível;
cobras que um dia moraram em seu coração
agora o rasgam e alimentam-se de seu sangue

Doce é o vinho quando envelhece
e quanto mais pensamos na morte
o sonho vira um pesadelo
e engrandece todos os desgraçados
que faz de seu ultimo suspiro um conforto.

Nenhum comentário: