sábado, 2 de julho de 2011

Morte

Tome certa cautela com suas palavras
elas podem o fazer sangrar

a água que bebe pode ser negra
sua alma pode estar aprisionada

você não vê sua imagem no espelho
e então ele se quebra em vários pedaços

A felicidade que um dia sentia
agora é um rio congelado

seus sentimentos estão esmagados
agora não não os venderia por míseros centavos

Seus pés pisam nos cacos
você começa a sangrar
mas não pode mais voltar

Você começa a envelhecer futuras lembranças
você esqueceu de questionar tudo em sua vida
agora no escuro não sabe mais qual a verdade e onde está a mentira

a verdade que mais dói permanecerá no seu esquecimento junto a dor
você vagará até os sons da escuridão e sofrerá mais um pouco
sangrará e apodrecerá deixe com que os corvos o comam.

Nenhum comentário: