domingo, 19 de junho de 2011

Convencional

Você escolheu tantas vezes meus sonhos
me deixou sozinha para vive los como pesadelos
eu só consigo chorar quando sinto dor

Você me pisou tanta vezes e me deixou falar
tanta coisa que eu teria para dizer foi pouco
agora eu encaro o tempo experimentando meu próprio sangue

Não quero admitir que você era como um belo pesadelo
um dia fantasiado que eu encontrei o maior de meus pecados
minha triste inocência me leva de volta

Você escondeu as agulhas e os objectos cortantes
uma prisão onde não posso nem mesmo morrer dignamente
vou esperar que as portas do inferno se abram
e queimar no paraíso convencional eternamente

Esperando pelo sua saliva de socorro
você prefiro ir embora pela estrada
eu observo daqui de baixo sua carne envelhecer
costumo acreditar que irei te rever
nesse paraiso convencional que mais me faz sofrer
espero pelo seu sangue que ele me banhe,algum dia.

Nenhum comentário: