terça-feira, 17 de maio de 2011

Passagem

Não posso encontrar o caminho
meus olhos estão costurados
minha voz chama mas ninguém ouve
a solidão me acolhe

Me vejo como um anjo caido
não sinto a presença de nenhum ser vivo
a não ser partes da minha alma apodrecida

Não posso sentir o vento em meu rosto
não posso sentir o gosto da minha dignidade
não posso gostar de me sentir bem
eu espero pelo trem

Minha juventude foi roubada
por uma carteira falsa
eu não me lembro e nem sei bem
quando foi a ultima vez
que pude encontrar a minha imagem
agora o espelho parece estar em migalhas

Não posso sentir minha alegria
não posso sentir nenhuma gota de felicidade
não posso sentir o quanto quero embarcar no trem
espero que eu consiga comprar a passagem
vou me viajar para um lugar distante dessa maldade
encontrar um lugar muito além da minha morte
vou me mudar para um mundo de verdade.

Nenhum comentário: