quarta-feira, 18 de maio de 2011

Caminho

Meus caminhos vão se curvar
parece que não me vejo solitária
sobre o sol que aquece as lágrimas
as lágrimas que banham meu olhar

Eu sei que meus pés querem apenas o asfalto tocar
sentindo como é ruim andar solitária pela estrada
mas deixe com que eu cante e espante meus demônios
eu não me orgulho de querer me molhar bem devagar
mas quero que eu pare de sofrer a ser tão fácil

O meu nome eu não sei onde pode estar
meu sorriso eu perdir por ai
a como eu queria lhe dizer que sou livre
apesar de eu mesmo escrever minhas canções
eu canto como um lobo que uiva apenas para a lua cheia

Como eu nado num mar de mentiras
saio bem mais suja do que eu entrei
mas sigo meu caminho de pés descalços
minhas lágrimas já estão secando
eu já vou sair até um dia me encontrar.

Nenhum comentário: