sexta-feira, 1 de abril de 2011

Mesquinhos

Não me diga que o sol já nasceu
É cedo demais pra saber o que aconteceu
A terra vai girando enquanto o meu dia passa
Não quero saber quanto tempo me resta...Logo se acaba
Vamos não quero que escorra nem um pingo de humildade
Eu visto a mais bela roupa e no entanto ninguém fecha a boca
Na ilha dos seres mais mesquinhos a seda corroe o pensamento
Fingindo serem melhores que a todos cuspindo em suas cabeças
Tomam o vinho e comem o peru se preparam para a sobremesa
São tão ignorantes quanto as suas malditas palavras
Que morram afogados pela miséria e afogados pelas comidas estragadas.

Nenhum comentário: