quinta-feira, 14 de abril de 2011

Mentiras e verdades de uma noite

Como gatos pretos
andando sobre a noite
apenas a luz iluminando o caminho
voltando para casa quando o dia clarear
não contarei seus segredos de sangue contaminado
você sentiu como nunca melhor esteve
como um escritor que chora e escreve
eu não posso acreditar em suas mentiras

Flutuar, o que será que eu farei?
acreditar na verdade da noite ou nas mentiras da lua
transformando minha tristeza em uma amarga alegria
eu penso com todo meu coraçãoque você pode por assim dizer deixar a porta aberta
deixando a luz da sol entrar e quem sabe alguém chegar.

Nenhum comentário: