sexta-feira, 15 de abril de 2011

Boneca

Empoeirada:
roupa de seda toda rasgada
cabeça de porcelana quebra
veias por onde o sangue não circula
suas pernas e braços descosturados
pela noite nada muda...Continua muda
pelo dia não respira...Sem vida,não respira
pelo tempo desgastante... Se deteriora e implora

Uma reforma
uma candidata
sua amor é dado de graça

Ela não imagina
dá a chance há sua imaginação
você é quem cria

Partes de uma boneca
por dentro se desperta
olho de botão...que parte o coração

Dê a ela a chance de ser apenas uma boneca
na escuridão de onde ela mora, ela te espera.

Nenhum comentário: