domingo, 20 de fevereiro de 2011

Correr

correr contra tudo que você vê
correr contra o mundo que desaba
correr contra o que pouco a pouco te mata

cegueira que está a cobrir o mundo
de tanta coisa que me cerca
nem ao menos uma flor me desperta
porque parece que por assim dizer
tudo está prestes a morrer

olhar para frente seguir um futuro
mesmo sabendo o que há atrás do muro
uma semente que não vai brotar
mas o que vale é a intenção de germinar

correr de tudo que me assombra
correr para encontrar o que me agrada
correr pela simples vontade de ser livre
correr até que um dia a flor enfim apareça
correr pela mais simples sutileza

"eu vejo as flores e botões,flores sem pétalas
o que mais vejo nessa vida são as sementes espalhas que não crescem
pessoas e sentimentos que não amadurecem
mas que corram o mais rápido que possam
para alcançar os seus sonhos antes que eles se enterrem
e assim sejam guardados em uma caixa para sempre
onde nada irá alcançar,nem o sol,chuva vento e o luar
deixe que tentem."

Nenhum comentário: