sábado, 25 de dezembro de 2010

Um dia

O que eu vejo está errado
eu não posso fazer mais nada
só quero mais um dia para me refrescar no rio que perto da minha casa corre
antes que o mundo aos poucos comece a se acabar
apagando assim marcadas descalço que deixei por aqui
minha casa da árvore que na minha mente morei
na floresta onde as flores se abriam apenas para mim

o sol que apenas nascia para me despertar para um novo dia
lua que vinha com toda pressa para eu logo me deitar
sobre as estrelas guardar meus sonhos que não contei a ninguém
deixando sobre a marca da chuva a minha alegria
e sobre a terra molhada tudo que foi um dia.

Nenhum comentário: