sexta-feira, 18 de junho de 2010

dragão medieval

Lágrimas de sangue de um dragão
preso a milhares de eras seu coração
caverna escura que parece escurecer o mundo
a luz não atravessa o segundo

Sonhei em escrever
a correnteza me arrastava á desaparecer
o que via, esfera que me iludia

Parece uma assimilação
da era de princesas e dragão
o que luta a mentira assusta

A espada que poderosa parece
afunda no coração da donzela
o dragão estava vindo, ele desperta.

Nenhum comentário: