domingo, 4 de abril de 2010

Submergindo

Está a submergir
Se nega a admitir
Que no mundo maltês estão a roubar
Súcia que fazem balburdiar

Calunia que brutaliza a mente
Nova conjuração a destruir o mundo
As dunas caem
Bruma que vem e vai
Me distrai

Arcaísmo de religião
Só está a estocar ilusão
Justo e verdadeiro não há
Molengas estão beneficando
Aquilo que o bélico morreu tentando

Já que minha vida
Angústia que buliça
Constrange aprisco encontrar
Sorte e verdade de um dia amar.

Um comentário:

Andy Freitas disse...

Fantástica!