quinta-feira, 15 de abril de 2010

Grandes Palhaços

Perigo
Mundo sem compaixão
Pessoas sem coração
Veneno que corre
Cega, o que corroeu
Importei-me demais
E isso me abasteceu
Das idéias de um mundo
Onde só pagamos os juros
Das coisas mal feitas
Por pessoas da lei
Sempre com cheque vencido nos pagam
Não somos palhaços, mas estamos fazendo o papel
Parece que o mundo não está mais com o gosto do mel,
Está azedo e amargo como um chá preto gelado
Pena ninguém falar o que todos querem ouvir
Estou aqui mais uma vez a repetir
Onde tem palhaço sempre a haverá um Cabra Safado
Comandando a lei e o estado
E a peça continua
Pobres daqueles que se iludem...
Nada ficará melhor enquanto não despedirem o patrão
Em cada esquina e rua sempre vai ter um palhaço indo à luta.

Nenhum comentário: