sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Volte para sua casa...

O vento bate nas folhas
Assim como se batesse em minha alma
Tão melancólica que a tristeza fica arredada
Não sinto mais as coisas tão simples
Meu canto tão ridículo
E alguns se esbaldam em risos
Como pode mentir se a mentira sente a verdade
Todas as coisas que fala todos sabem
Simples inútil verdade
Nem tudo foi como você queria
Sua dor se esfrega em luxo
Confronta mais sua força é uma calmaria
Um mar de agonia que se mistura em sangue
Deslumbra-se calmamente, pois talvez chegue o dia
Suas unhas, cabelo, pele e desasseios não a reconhecem
Você foi agora não é, pois tudo que disse era mentira
Volta para tua casa o mar fúnebre das férias.

Um comentário:

Andy Freitas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.