segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mudar 1

Eu nasci pra fazer o diferencial da maioria
Para mudar o mundo e acabar com a burguesia
O que eu escrevo não é tão bom assim
Mais nem tão ruim ao ponto de se jogar no lixo
Onde minha velha alma sem graça descansa

Eu me sinto importante
Não sei por que mais fico contagiante
Quando vejo a chuva a cair sobre mim
E quando a cruel resposta é um sim

Sei lá se é idiotice ou apenas destino
Minhas armas são as palavras
Que levo sempre comigo
No bolso e na alma

Minhas respostas são grandes demais para as suas perguntas
Nem eu mesmo sei se tenho culpa
Mas quem sabe eu seja capaz de mudar o mundo
Talvez seja uma plena alma de vagabundo
Eu nunca saberei, mas deixo o tempo passar
Levando minhas palavras pelo ar.

Um comentário:

Andy Freitas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.