quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Morte

Está longe mais vai estar perto
É um dia que eu não quero para mim mesmo
Nada basta nem ao menos ser sincero...
Vem chegando me rodando lentamente
Parece me atacar como um animal selvagem com muitos dentes,
Talvez vão sentir falta da minha pobre alma
Não posso prever quando chegará
Mais o céu parece estar ficando escuro
E eu aqui continuo atrás do muro
Ninguém pode prever o futuro
Poucos sentem outros nem vêem
É a morte que chega sem avisar ninguém.

Nenhum comentário: