terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Minha cidade

Minha cidade das flores
Toda florida e cheia de amores
Minha cidade da solidão
Existem príncipes ou quem sabe não

Minha cidade sem solução
Onde eu vivo não para de chover
Meus pés parecem se mover
Mais é apenas o arco-íris a nascer...
Depois daquela tempestade que chegou sem avisar
Minha alma se molha e sempre parece gostar

Minha cidade natal
Onde abri os meus olhos
Minha cidade querida
Onde estou e vivo
Minha cidade profana
Mesmo me fazendo chorar me ama

Mesmo se eu for embora será minha cidade
Dos príncipes e das flores e com um toque de liberdade.

Nenhum comentário: