sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Fantoches

Eu engulo o choro
Tantas vezes e tantas vezes pedi socorro
E sinto que minha alma chora
Sinto que meu coração dói
Mais com o tempo se acalma

Milhões de historias
E memórias lavadas
Estamos na estrada triste e solitária

Monstros nos perseguem
Somos fantoches blindados pela poesia
Os monstros são pessoas que vem da escuridão

Todos nós andamos sozinhos
Mais não tenha medo à luz vence a escuridão
Corte as cordas assuma a sua vida
Fantoches são apenas fantoches
E você viva a vida.

Nenhum comentário: