domingo, 14 de fevereiro de 2010

antidepressivos

Já foram tantas caixas
Faz um mês e nada acontece
Estou aqui a ouvir coisas que não quero sobre a vida
Presa e minimamente acolhida

Quero e penso no que ser
Minha cabeça se dilata sem eu nem ver
E a droga acaba sem nenhum efeito
Nunca vi um dia perfeito
A não ser aquele que eu tenha feito

O vento me toca as folhas se levam
Tudo se encontra num conceito
Eu não gosto de proposta
Muito menos dessa gente falsa
Eu já me iludi por pessoas fracas
Mais agora estou aqui
Vejo as nuvens e quero domá-las
Mesmo nem sabendo como conquistá-las

Se eu viver só vou querer alguém
Mais estou aqui e aqui estarei
Velhos heróis velhos sacrifícios
Estou aqui tomando antidepressivos
Mais nada ajuda nem o caos sobre uma juba
Juba das batalhas que enxergo de longe
Das coisas mal feitas da vida desfeita

Estou vivendo o que faço é errar aprendendo
Tantas virtudes, agulhas e objetos pequenos
A dor é imensa, mais talvez não supere a morte
Socialismo não está aqui capitalismo dominou
Anarquismo escondido ficou

Políticos pensam que enganam a gente
Mais não sabem que já sabemos
Que quem rouba quer para si mesmo
Tão egoísta cheio de mantimentos
Estamos aqui afinal
Eu aqui você ali
Somos apenas uma parte daqui

Vamos viver
Aprender
Temos que ter alegria
Para enfrentar a problemática vida
Semanas, meses e horas
Temos tempo mesmo sem rezar
Ou tomar drogas sem nem enfrentar,
Remédio são as drogas que não me deixam
E minha cabeça um misterioso segredo

Entrego-me a vida
Vamos ver o que me espera em outra primavera
Um mar de luxuria de quimera
Misteriosa e tão bela assim é vida
E somos partes fieis dela...
Nunca saberemos onde estamos sem procurar o que não procuramos.

Um comentário:

Andy Freitas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.