segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Pouco tempo

Tenho apenas alguns dias
Tenho menos de 58 horas
Não jogue fora o que restou
Reconheça que não se ganha nada sem lutar

Eu olho com olho cor da noite
Observo que há ferrugem sobre a velha espada
Eu não desisti ao ver o sol nascer
Eu nem chorei ao ver a noite resistir

Tenho poucos minutos
Tenho pequenos segundos
Não queime o que sobrou
Admita que a greve de fome seja uma derrota
Sobre os olhos de uma criança que chora


Eu ando e caio sem querer
Dirijo e derrapo sobre as curvas
Alimento a necessidade de busca
O tempo acabou mais a procura continua
Nem todos dormem sobre a luz da lua.

Nenhum comentário: