terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O fácil medo dinâmico da tristeza em um tudo

Dinâmica
Sobre uma tiragem ausente
Onde eu não vejo que vai ser presidente
Mais descubro o futuro sem a gente

Fácil
Pra quem vive sem esculachos
Onde eu continuo mesmo dolorida
A descobrir a verdade perdida

Medo
Pra quem vive perto da morte
Onde a vida é a incerteza cruel
Mais da pra descobrir que viver é um mel

Triste
Pra que não sabe amar
Onde não descobriu um coração
Mais os amores incertos estão na ponta há um século

Tudo
Pra quem vive no mundo
Onde existem pessoas
Onde todas são forçadas a toa
Mais que não resiste multiplica a dor de si mesmo
A dor de si mesmo sem pensamento
Flor cruel sem sentimento

Essa é a vida fácil do medo dinâmico da tristeza sobre o tudo
Ninguém nunca ouviu nem sentiu isso no mundo
Desculpe por mais este absurdo.

Nenhum comentário: